Bem Vindos '''''''

Todos Juntos a Caminho da Ascensão

sábado, 20 de novembro de 2010

O Astro Intruso e a Verticalização do Eixo da Terra

O ASTRO-INTRUSO E A VERTICALIZAÇÃO DO EIXO DA TERRA
Opinião do autor: Se é uma coisa que nos preocupamos, é impedir que a nossa própria opinião pessoal, eventualmente, venha a interferir na narração dos fatos. Procuramos nos manter imparciais e eqüidistantes, buscando somente interpretar o que foi predito e confrontando com o desenrolar dos acontecimentos. Entretanto, no que se refere ao aparecimento de um astro-intruso no nosso sistema solar, nos reservamos o direito de opinar que se esse astro estivesse no plano físico, há muito tempo ele já teria sido detectado pelos nossos cientistas. Ou seja, conforme orientação recebida pelos Seres de Luz que nos assistem, esse astro intruso é da quarta dimensão(plano astral) e sua influência repercute no plano físico através da projeção do seu quantum energético e do seu magnetismo. 
Através de canalizações anteriores, Ramatis nos informa que dentro do que foi planejado no Grande Plano, acontecerão dois fatos extraordinários: “a aproximação de um planeta estranho ao sistema solar e a conseqüente verticalização do eixo da Terra”.
 “A aproximação de um astro-intruso para magnetizar uma humanidade degradada não é um caso isolado, mas sim um acontecimento rotineiro, já repetido milhares de vezes em outras latitudes do Universo e previamente equacionado dentro do Grande Plano.  Não há ocorrências imprevistas nos eventos Siderais, tudo é manifestação exata da Lei Cósmica, que rege e organiza o Eterno Pensamento de Deus, materializando no campo exterior, os acontecimentos cadenciados de um Manvântara.”
“O astro intruso, que já está bem próximo, não pertence ao vosso sistema solar e demora 6.666 anos para completar sua órbita em torno do seu núcleo. Em decorrência de pertencer a outro sistema, ficará esse astro no seu ponto mais próximo da Terra, depois deverá se afastar paulatinamente. Seu potencial energético é expressivamente maior que a do vosso globo”.
“Atualmente a circunvizinhança etéreo-astral da Terra está povoada de detritos mentais acumulados por milênios. Esse astro é como se fosse um gigantesco aspirador magnético, absorvedor dos detritos mentais, bem como, dos respectivos elementos humanos responsáveis pela sua emissão (*). Todo o invólucro astral-etérico da Terra sofrerá o impacto renovador energético promovido pelo astro intruso”.
(*) Essa absorção de seres humanos será efetuada quando eles estiverem utilizando seus corpos astrais, ou seja, após suas respectivas mortes.
“O astro-intruso é um quantum de energia primitiva e estimulante, que ireis interceptar, conforme vossa maior ou menor resistência evangélica. Suas vibrações psíquicas, de um teor energético animalizado, estão avivando tendências semelhantes em almas afins. Sob esse excitante convite interior, os menos preparados estão materializando, à luz do dia, os desejos mórbidos que antes dormiam latentes nos seus energismos da esfera animal, com a eclosão de crimes bestiais, sem razão, sem sentido ou explicação lógica” (*).
(*) É impressionante como essa explanação de Ramatis, efetuada em meados do século passado, têm sido de implacável concretização nos tempos atuais: todos os dias nos deparamos nos meios de comunicação com a “eclosão de crimes bestiais, sem razão, sem sentido ou explicação lógica”.   
“As energias telúricas do mundo inferior estão sempre latentes no vosso psiquismo, e o planeta-intruso é um poderoso detonador psíquico, que atuará nas zonas invisíveis astral-etérico de todos os seres, ateando o fogo definitivo para o reinado desregrado da Besta. As almas serão atraídas, pouca a pouco, para a sua atmosfera agressiva e primária, em consonância com a lei de correspondência vibratória, em que semelhantes atraem semelhantes. Em sentido oposto, e sob esse mesmo simbolismo, o Arcanjo da Terra, o Cristo Planetário, também continua a efetivar convites energéticos, pela via interna do Eu Superior, esforçando-se para despertar as forças adormecidas do Anjo, também latente em todos vós. Cumprir-se-á assim, o predito por Jesus: “Quem estiver fazendo injustiça, faça-a ainda; e o imundo torne-se ainda imundo, mas o justo faça ainda justiça e o santo seja ainda santificado”.
“Os efeitos da passagem do astro-intruso, causarão também profunda higienização dos campos áuricos do homem, implicando que os sobreviventes, selecionados, obtenham muito maior sensibilidade psíquica. Ou seja, haverá também uma “explosão da visão psíquica dos homens”, fazendo com que eles percebam tudo, com maior clareza, principalmente a parte sutil dos corpos. Soma-se isto ao fato de todo o meio psico-atmosférico haver sido limpo ou aspirado, pelo astro-intruso. Em síntese, a terceira visão, tornar-se-á um acontecimento comum entre os seres humanos remanescentes”.
Irmão do Himalaia: “Tudo que impede o homem de enxergar com a vista interior será eliminado de seu campo visual, expandindo espantosamente sua capacidade de observação. Incluem-se nessa poeira a ser removida, os pensamentos, os sentimentos e miasmas negativos, que servem de escudo, para que o homem verdadeiro fique preso na sua própria clausura, construída por uma personalidade egoísta e inconseqüente. Assim, enxergando melhor, o homem será forçado à se deparar consigo mesmo, no Tribunal de  Sua Própria Consciência”.
Todo o Universo obedece à mesma Lei em quaisquer de seus quadrantes, e os acontecimentos do Final dos Tempos, no nosso planeta, pequeno pormenor no Grande Plano, igualmente obedecerão à mesma Lei do Criador.  Assim, a manifestação mais concreta do astro-intruso se fará após darmos o último passo, que quebrará definitivamente o equilíbrio cósmico circunvizinho.  A última gota d’água que fará transbordar o reservatório que tão ciosamente enchemos durante milênios será a Terceira Guerra Mundial. Ficará comprovado então, o determinismo, previamente delineado, que esta humanidade não terá mais condições de existir “per si” sem que ameace a sua própria existência e a dos planetas vizinhos. Cumprir-se-á a Lei de Causa e Efeito, conforme foi exaustivamente avisado e previsto pelos profetas.
Na Ronda formativa das sete raças raízes do nosso globo, os Mentores Siderais previram cinco modificações essenciais no eixo terrestre Já ocorreram quatro modificações e, segundo as profecias, a quinta modificação no eixo terrestre deverá ocorrer em breve. Os efeitos da aproximação do astro-intruso na quarta-dimensão e a conseqüente verticalização do eixo da Terra são previstos por diferentes profetas em diferentes épocas, bem como, indicam as mudanças no nosso panorama familiar, astronômico e geológico:
Hermes Trimegistos: “A Terra perderá então seu equilíbrio, o mar deixará de ser navegável, o céu não estará manchado de estrelas, os astros deterão sua marcha pelo céu; toda voz divina se calará será forçada ao silêncio e se calará...”
Isaías (LXV__17) “Por que eis aqui estou eu, que crio um céu novo e uma terra nova; e não haverá recordações das coisas anteriores, nem subirão ao coração”.
Isaías (XXIV__ 19,20) “A terra rebentou completamente, a terra foi sacudida completamente, a terra foi abalada completamente. A terra oscila completamente igual a um bêbedo, e ela tem balançado para lá e para cá como um rancho de vigia. E sua transgressão se tornou pesado sobre ela e ela terá de cair, de modo que não se levantará mais”.
- Cent. III- 34 “Quando o sol ficar completamente eclipsado passará em nosso céu, um novo corpo celeste, o monstro que será visto em pleno dia.
- Cent. IV-29 “O sol escondido, eclipsado por mercúrio, passará por um segundo céu”.
- Cent. II-41: “Uma grande estrela, por sete dias, abrasará a Terra e ver-se-ão dois sóis aparecerem”.
- Cent. VI/6 “Aparecerá no céu, no norte, um grande cometa”.
Devemos observar que todos os profetas, ao terem suas visões, estavam fora do seu tempo e espaço alguns “arrebatados em espírito”, por isso, voltamos a reiterar, o astro intruso não se materializará no plano físico, mas seus efeitos arrasadores sim serão sentidos no plano físico, que é o que realmente nos importa. Entendemos que esse astro “será visto em pleno dia”, pelos clarividentes. Isto será facilitado devido à limpeza do campo áurico da Terra e do campo de repercussão mental da humanidade remanescente, decorrente da própria aproximação desse astro intruso.
As profecias contidas no Apocalipse são também pródigas sobre as modificações astronômicas e geológicas que sofrerão o globo terrestre:
(VI__ 13,14 “E as estrelas do céu caíram para terra, como quando a figueira sacudida por vento forte, deixa cair seus figos verdes”. “E o céu afastou-se como um rolo que está sendo enrolado, e cada monte e cada ilha foram removidos dos seus lugares”. “O sol ficou negro...  ...as estrelas do céu caíram...”  “... o céu afastou-se”... “... e cada monte e cada ilha foram removidos dos seus lugares ...
   Estas previsões se parecem com as de Nostradamus: “ ..., passará em nosso céu, um novo corpo celeste...”  “Após um eclipse do sol, sucederá o mais escuro e tenebroso verão, que jamais existiu..”. “. quando uma grande transformação se  produzirá, de tal forma que julgarão a terra fora de órbita e abismada em trevas eternas”.
Apesar de essas profecias serem 1500 anos distantes umas das outras elas coincidem  em vários aspectos: “Passará um novo corpo celeste. A Terra retificará sua inclinação. Sucederá um tenebroso verão. Haverá um grande terremoto. Muitas paisagens terrestres usuais sumirão. Aparecerão novas terras”. De modo geral, observamos uma perfeita correspondência nas profecias de Zacarias, Isaías, João Evangelista e Nostradamus, com exceção, naturalmente, dos cálculos astrológicos do francês.
(VIII__ 7)  “E o primeiro anjo tocou a sua trombeta. E houve saraiva e fogo misturado com sangue, e isso foi lançado para a terra; e um terço da terra foi queimado, e um terço das árvores foi queimado, e toda vegetação verde foi queimada”.
As Potestades Angélicas, ao abrirem os selos, dão seqüência ao Plano delineado na Mente Divina.  Os elementos da natureza em fúria são revelados com clareza, envoltos em sangue, ou seja, envoltos com as próprias paixões humanas, as quais, como já foram relatadas, serão os elementos detonadores dos dramáticos acontecimentos finais. João Evangelista não deixa dúvida que um terço da Terra será palco de terríveis comoções, misturado com fogo e sangue, o que dá idéia de sofrimento. Estas previsões coincidem também com as de Nostradamus: “porque esse corpo é de efeito abrasador  e  sucederá o mais escuro  e tenebroso verão”.
(VIII__12) “E o quarto anjo tocou a sua trombeta, e foi ferida a terça parte do sol, e a terça parte da lua, e a terça parte das estrelas; para que a terça parte deles se escurecesse, e a terceira parte do dia não brilhasse, e semelhantemente a noite”.
Como o evangelista não poderia precisar, na época, que a inclinação da Terra é de 23 graus e 30 minutos, não poderia igualmente precisar a verticalização do seu eixo na medida de ângulo correta, por isso  ele avaliou a verticalização do eixo terrestre em um terço. Na verdade, ele deveria enunciar assim a sua predição: “foi ferido o sol em 23,30’, a lua em 23,30’ e as estrelas em 23,30’,” pois, segundo as previsões, esta será a inclinação do planeta que será retificada. “Para que a terça parte das estrelas se escurecesse” - ou seja, desapareceu um terço do conjunto estelar que poderia ser observado, sendo substituído por outro conjunto estelar.
(VIII__9, XVI__3) “E morreu um terço das criaturas que há no mar, as quais tem almas, e um terço dos barcos foi destroçado”. “E o segundo derramou a sua tigela no mar . E este se tornou em sangue como de um morto, e morreu toda alma  vivente, sim, as coisas do mar”.
O significado simbólico é evidente: “Um terço das criaturas que há no mar, as quais têm almas,” o profeta só pode estar se referindo aos seres-humanos que estão no mar. Ou seja, um terço da humanidade deverá perecer no mar ou por intermédio do mar, que se tornará perigoso para a vida humana.  Conforme as profecias ocorrerão maremotos, tsunamis, inundações marítimas, destroçamentos e naufrágios das embarcações, superlotadas, pelas pessoas que estiverem fugindo das calamidades nos seus respectivos continentes.
(VIII__10) “E o terceiro (anjo) tocou a sua trombeta. E caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma lâmpada, e ela caiu sobre um terço dos rios e sobre as fontes de águas”.
Conforme esclarece os sábios, a Técnica Sideral preparou, para João Evangelista, que se encontrava desdobradofora do corpo físico, um resumo ideoplástico dos fatos que devem ocorrer no final dos tempos. Este resumo eliminava os movimentos gradativos, por isso tudo lhe parecia rápido, presente, daí a sua visão na quarta dimensão, de “estrela caindo”, mas, na verdade, ele estava apreciando o movimento do astro-intruso na sua lenta aproximação da Terra. Em movimentos acelerados, passavam na sua frente, acontecimentos que demorariam décadas para se concretizarem.
(XVI__8, 9) “E o quarto (anjo) derramou a sua tigela sobre o sol; e concedeu ao sol abrasar os homens com fogo. E os homens foram abrasados por um grande calor, mas eles blasfemaram o nome de Deus, que tem autoridade sobre estas pragas, e não se arrependeram de modo a lhe darem glória”. (XVIII__8) “É por isso que as pragas dela virão num só dia, morte, e pranto, e fome, e ela será completamente queimada em fogo, porque Deus, quem à julga, é forte”.
Nostradamus: “Deus castigará os homens maus, como castigou aos anteriores, ao Dilúvio. Desta vez, castiga-los-á com água e sobretudo com fogo”... Cent. I/17-“A terra ficará árida; haverá grandes dilúvios. Quando for visto a olho nu” (pelos que tiverem a terceira visão).
O profeta confirma que a Terra será queimada, pelos efeitos climáticos decorrentes do astro intruso e das guerras; o castigo virá relativamente rápido, sem ninguém esperar, haverá seca e fome.  Haverá muita revolta pelos que não se prepararam física e espiritualmente para essa penosa transição.  
Isaías ( XXX__ 25) “E em cada monte alto e em cada morro elevado terá de vir a haver correntes, valas de água, no dia da grande chacina, quando as torres caírem”.
Ocorrerão grandes maremotos e inundações, pois as águas e correntes, evidentemente, só poderão escorrer de “cada monte alto e em cada morro elevado”, somente após as planícies terem sido antes completamente inundadas. “No dia da grande chacina”, significa no dia da grande mortandade. “Quando as torres caírem”, (as torres das ilusões) significa os momentos em que o homem, forçosamente, tiver que encarar a realidade de sua fragilidade humana.
Lucas (XXI__25) (XXI__31) “Também, haverá sinais do sol, e na lua, e nas estrelas, e na terra angustia de nações, não sabendo o que fazer por causa do rugido do mar e da sua agitação”. “Deste modo também vós, quando virdes estas coisas ocorrerem, sabeis que está próximo o reino de Deus”.
Neste versículo também se confirmam as mudanças astronômicas, as “angustias das nações” e as enchentes “por causa do rugido do mar e da sua agitação”, ou seja, devido aos maremotos e tsunamis. O Mestre Jesus nos avisa que, quando todas as calamidades previstas estiverem ocorrendo, saberemos que a Terra ficará higienizada, servindo de moradia digna para a Humanidade Selecionada do Terceiro Milênio.
Isaías (XXIV__6) “Por isso é que a própria maldição consumiu a terra e os que habitaram nela são considerados culpados. Por isso é que os habitantes da terra diminuíram em número e restaram muito pouco homens mortais”.
Zacarias (XIII__ 8,9) “E terá de acontecer em toda a terra, é a pronunciação de Deus, que duas partes nela serão decepadas e expirarão; e quanto à terceira parte, será deixada sobrar nela”. “E eu certamente levarei a terceira parte através do fogo; e eu realmente os refinarei como se refina a prata e os examinarei como se examina o ouro”.
É interessante notar que esses dois profetas do Antigo Testamento dizem quase a mesma coisa que no Apocalipse, sendo que Zacarias afirma que perecerão dois terços da atual população terrestre. O outro terço restante será refinado, examinado tão bem como se examina a prata e ouro; “levarei a terceira parte através do fogo”, ou seja, serão purificados. 
XXI__ 1) “E eu vi um novo céu e uma nova terra; pois o céu anterior e a terra anterior tinham passado , e o mar já não é.”
Nesta visão, João Evangelista nos informa que viu os “novos continentes” que irão se formar, com um novo céu e uma nova terra, conseqüência após o deslocamento dos oceanos,  conseqüência da elevação do eixo da Terra em 23,30 graus.   Na expressão: “o mar já não é”, está indicado claramente, que o mar desaparecerá nos locais em que houver a emersão de continentes submersos.
(XVI__18,19,20)  “E houve relâmpagos, e vozes, e trovões, e houve um grande terremoto, tal como nunca tinha havido desde que os homens  vieram a estar na terra, tão extensivo o terremoto, tão grande”.  “E a grande cidade fendeu-se em três partes, e caíram as cidade das nações,...” “Também toda ilha fugiu e não se acharam os montes”.
Conforme essas profecias haverá um grande terremoto, como nunca se viu antes.  Essa terrível catástrofe será de caráter geral, afetando toda a crosta terrestre que se fenderá em três partes.  Após esse terremoto, os aspectos que normalmente conhecemos do globo, inclusive as ilhas e os montes, não serão mais encontradas. Isto é, serão substituídas por novas porções de terras que emergirão. Conforme nos informa o Koothumi-Ramatis, os antigos continentes submersos, Lemúria e Atlântida, voltarão á tona, implicando em enormes modificações geológicas.
Mateus (XXIV__ 21) “Porque haverá então grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tão pouco há de haver”. (XXIV__22) “De fato, se não se abreviassem aqueles dias, nenhuma carne seria salva; mas, por causa dos escolhidos, aqueles dias serão abreviados”.
O Mestre Jesus faz questão de frisar que “nunca houve, desde o princípio do mundo até agora”, acontecimentos tão dramáticos e terríveis quanto haverá nestes tempos decisivos. Informa ainda que, se, os acontecimentos, não fossem interrompidos (“De fato, se não abreviassem aqueles dias), não deixariam rastro de vida humana no planeta (nenhuma carne seria salva). Mas, por causa da Humanidade Selecionada (dos escolhidos,) destinada à povoar este Terceiro Milênio, “aqueles dias serão abreviados”.
Estas últimas profecias, proferidas por Jesus, a mais Alta Consciência Diretora da humanidade, não deixa a menor sombra de dúvida sobre as modificações radicais de nosso planeta e o selecionamento draconiano de sua humanidade.  Contudo, apesar de tudo o que foi dito, de todas as advertências, da lenta seqüência dos fatos, ainda assim, muitos duvidarãoe se negarão a reconhecer os decisivos momentos em que vivemos. Assim, mais do que nunca, devemos nos lembrar da sibilina advertência do Mestre: 

“Pior cego é aquele que não quer ver”.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir